Círculos Femininos

As vivências de Sagrado, normalmente realizadas em círculos de mulheres, encontros onde são abordados diversos temas. Cada condutora ou mestra, segue um método para transmitir seu conhecimento e auxiliar nessa reconexão. 

Nas vivências, cada membro realizará diversas atividades, sendo as mais comuns: meditação, danças, estudam as deusas e arquétipos, discutem sobre cuidados naturais para a saúde da mulher, conhecem as ervas para banhos e chás.

“O círculo é uma estrutura que dilui a liderança em torno da sua circunferência, oferecendo meios inclusivos de delegar tarefas, consultar, orientar, auxiliar, agir, criar, aprender, servir, reverenciar, planejar e alcançar objetivos, comemorar e orar, reconhecendo a importância de cada participante e honrando sua contribuição. E, acima de tudo e sempre, ele permite criar um centro sagrado nas nossas vidas, proporcionando e fortalecendo a conexão individual e grupal com a Fonte Divina, e celebrando em conjunto a diversidade, a beleza e a sabedoria de toda a existência.” Faur, Mirella. Círculos Sagrados Para Mulheres Contemporâneas 

Dentro dos círculos é feita a conexão com o Ancestral Sagrado e explorando formas de expressão em conjunto. Levando em consideração as colocações individuais. 

Podemos ser inspiradas por várias tradições, sejam elas: xamânicas, celtas, indígenas, africanas, budistas e wicca, utilizando os mitos, lendas, meditações, canções e reinterpretação de cerimônias; lembrando sempre de reverenciar a GRANDE MÃE.

“Somos irmãs de jornada, cantando todas como uma só Lembrando os antigos caminhos, as mulheres e sua sabedoria, Somos irmãs de jornada, cantando à luz do Sol. Cantando na noite escura, a cura começou, a cura começou.”  Canção tradicional dos círculos de mulheres norte-americanas.

Os rituais e as cerimônias constituem a essência da espiritualidade feminina e todos os círculos sagrados os realizam, claro que cada qual a sua forma e necessidade. Podem ser moldados de forma espontânea ou planejada para tal ação. Ao longo da nossa história humana ele sofreu mudanças, face à localização geográfica (que engloba a sociedade e o meio que está inserido)

Toda vez que penso em Círculo meu pensamento vai direto na palavra Axé, que em Iorubá significa: poder, energia ou força presentes em cada ser ou em cada coisa; com isso penso num fluir harmonioso e cheio de energia de todos presentes. 

Precisamos lembrar também que todos que vão para o círculo estão em busca da sua espiritualidade, que nada mais é que a nossa busca humana em fazer sentido/conexão com algo maior que o SER. 

Claro que temos uma grande diferença entre religiosidade e espiritualidade, a grosso modo podemos concluir que espiritualidade é olhar para dentro e fora, já a religiosidade um olhar para o externo. Com isso em mente um círculo harmonioso respeita o SER e sua conexão com a espiritualidade e sua religiosidade (ou até a ausência dela).

Sentar em roda, compartilhar informações e sentimentos é uma das facetas mais interessantes da humanidade. Seja de mãos dadas para uma prece ou em reunião para decidir tarefas do dia a dia, sempre estamos em contato com grupos. Para algumas pessoas estar em grupo é uma forma de se conectar, de compartilhar, de ter confidentes; já para outros é uma tarefa árdua, pois tem dificuldade de se integrar. Para mim, é um resgate, sempre estive em grandes círculos, seja de dança, meditação, com amigos ou familiares, me sinto bem em conhecer um pouco de cada pessoa e animada em absorver um pouco de cada um e transmitir um pouco de mim também. 

Não importa a cultura, sempre estaremos nesse grande círculo de resgate, de companheirismo e conexão. 

A ancestralidade já nos remete à sabedoria, ao conhecimento e cultos de entendimento dos processos naturais, razão pela qual está bem ligado ao resgate e estar presente com seu sentimento.

Estarmos em círculo para resgatar informações, nos conectar com os outros, transformar emoções, pertencer a um coletivo que vibra na sua energia e te ajuda a se compreender através deles é uma dádiva. 

Honrando e respeitando nosso corpo, emoções e estados mentais, as mulheres em círculo aprendem a acolher e dar um novo sentido ao que afloram nesses encontros, facilitando nosso contato com nossa sabedoria interior e indo de encontro com uma vida mais harmoniosa. 

Empoderando a sua jornada e facilitando o das demais mulheres, um caminho para o nosso íntimo e de reencontro com a Energia Universal. 

SER e pertencer são as palavras chaves para esta união de mulheres com propósito em sua busca de autocuidado e conexão com sua espiritualidade. Seja todas bem vindas a esta grande jornada!

Fabiana Vieira

Terapeuta Holística

Deixe uma resposta